Reminiscências | Repertório Inativo
51345
page-template-default,page,page-id-51345,page-child,parent-pageid-291,ajax_fade,page_not_loaded,,select-theme-ver-2.1,smooth_scroll,big_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive
 

Repertório Inativo

Espetáculo: As Melhores Histórias do Mundo

 

Esse foi o primeiro espetáculo do Grupo Reminiscências, que estreou em agosto de 2011 e se tratava de uma narração de cinco histórias infantis, Papa Sonhos, Sobre Príncipes e Sapos, Tudo pode Acontecer, Pele de Asno e Os três porquinhos.  A peça teve direção do Grupo e esteve em cartaz por volta de 6 anos, circulando por diversas cidades e projetos do estado, como por exemplo o projeto Rodas de Livros que por meio da Enercan levou o espetáculo a circular por diversas cidades do interior do Meio Oeste Catarinense, além do projeto Federal Mais Cultura nas escolas em Irani\SC.

 

Espetáculo: Confraria de Histórias

 

Esse foi o primeiro espetáculo do grupo destinado ao público adulto, no qual havia uma dramaturgia híbrida e costurada por três histórias dirigidas a partir de um processo colaborativo entre os atores, A Lenda do Negrinho do Pastoreio, A menina Vendedora de Fósforos e Santo Antônio Casamenteiro, o grupo foi beber na fonte das lendas populares para construir um universo que permeava a contação de histórias e o teatro ritualístico. A peça esteve em cartaz de 2012 a 2014, circulando por Uruguaiana\RS, outras cidades de SC e no Festival Cênico de Guarapuava\PR.

 

Espetáculo: O Mundo Sobre O Qual Ela Não Podia Fazer Perguntas

 

Esse foi um espetáculo dirigido por Vanessa Giovanella do Grupo Cambaio de Teatro de Santa Maria\RS e a dramaturgia era livremente inspirada em contos do livro Histórias de um viajante da Marina Colasanti. Abordava a força da mulher como personagem principal e suas lutas diárias e seculares como conflito, trabalhava com a linguagem de rua buscando debater a realidade feminina perante diferentes formas de opressão, suas dúvidas, sua força, sua voz, seu grito. A peça estreou em 2016 e esteve em cartaz por alguns anos, tendo circulado pelo Festival Internacional de teatro de Posadas em Misiones na Argentina, no Festival Rosa dos Ventos etapa Florianópolis, na Mostra de teatro de Joaçaba\SC e em projetos pelo SESC\SC.